Global Travel & Corporate

Viagens de avião na gravidez – Quais cuidados tomar?

, ,
14 mar . 2018

A gravidez é um período delicado para toda a mulher e requer atenção e cuidados para que tudo saia perfeitamente bem. Tratando-se de uma viagem de avião, é uma questão comum e razoavelmente tranquila para as mamães. Porém, se um voo longo já é cansativa para todo mundo, imagine o desgaste de uma gestante?

Primeiramente, é preciso avaliar o quadro. Mesmo com desconforto e cansaço pela falta de posição na poltrona, a viagem de avião ainda é bastante segura. Ao menos, é claro, que a gestante tenha algum tipo de complicação durante a gravidez, como: sangramento, diabete, pressão alta, ou já tenha tido um bebê prematuro. Nesses casos, é melhor conversar com o obstetra antes de embarcar.

Ao contrário do que se pensa, o início da gravidez não é o período mais propício para viajar, pois é nele que os enjoos são mais recorrentes.  Os obstetras recomendam viagens a partir da 14ª até a 27ª semana, ou seja a partir do segundo trimestre, período em que os enjoos já ficaram pra trás, a energia é maior e os riscos de aborto espontâneo são menores.

capa-10-1050×599

Porém, a partir deste período, na 28ª semana, os cuidados devem ser redobrados e as viagens neste estágio só em casos inevitáveis. Algumas companhias chegam a restringir embarque de gestantes após a 28ª semana devido ao risco.

É importante sempre informar à companhia aérea que você está grávida e assim solicitar um assento no meio do avião, local de maior estabilidade durante o voo, ou até mesmo na primeira fileira, onde há maior espaço para as pernas.

Grávida-pode-viajar-de-avião-4

Outro apontamento importante é reservar uma poltrona no corredor da aeronave, isso facilita as idas ao banheiro e permite que as gestantes possam caminhar livremente. É importante que haja espaço para se locomover e estimular a circulação sanguínea, pois ficar sentada por muito tempo pode provocar inchaço dos pés, tornozelos e câimbra nas pernas. Se tratando de viagens longas, é importante que a cada hora a mulher levante-se e caminhe por todo o corredor, exceto quando houver turbulência.

iStock_60438024_wide

É obrigatório oferecer acompanhamento especial para gestantes durante os voos. Embarque prioritário e reacomodação para melhor assento quando disponível, são responsabilidades das companhias aéreas, basta que a gestante avise-a durante o check-in.

Gravida-pode-viajar-de-aviao-capa

Existem algumas regrinhas para gestantes embarcarem em voos comerciais, são elas:

Gestantes com até 27 semanas (para gravidez simples) ou 25 semanas (no caso de gêmeos), não é necessário apresentar nenhum atestado médico para viajar.

 

De 28 a 35 semanas para gravidez simples ou de 26 a 31 semanas no caso de gêmeos, a gestante deverá preencher a “Declaração de Responsabilidade”, fornecida pela companhia aérea durante o check-in. Algumas empresas disponibilizam esse formulário nos seus sites para facilitar a vida e já levar preenchido de casa, mas atenção, duas vias são necessárias.

 

Início da 36ª semana até o término da 37ª semana para gravidez simples ou início da 32ª semana até o término da 37ª semana no caso de gêmeos, a gestante deverá apresentar atestado médico assinado com validade de 30 dias.

 

A partir de 38 semanas para ambos os tipos de gravidez, é permitido o embarque de gestante apenas em situação de extrema necessidade e acompanhada por um médico obstetra.

 

Considerações do Atestado Médico:

Nele deverão conter o nome do médico obstara, junto com o registro do mesmo no conselho profissional ou de especialista. Endereço do consultório, telefones para contato e autorização para viagem aérea.

A validade do atestado é de 30 dias, devendo ser emitido com até uma semana antes dos embarque.

IMPORTANTE: mesmo com autorização médica, viagens com 7 dias que antecedem o parto ou 7 dias posteriores, assim como recém-nascidos com menos de uma semana, não são recomendadas.